Criado como menina, como a neurociência explica o caso de Bruce Reimer?

Bruce Reimer (na foto) passou os seus primeiros 14 anos desde o seu nascimento, educado como uma menina e obrigado a participar de sessões de terapia traumáticas para reatribuição sexual. Tudo veio à tona ao públicoquando, em 1997 ele revelou a impressa." - Imagem: Reprodução/ YouTube

Amplamente divulgado, o caso Bruce Reimer, que teve seu órgão queimado em circuncisão e passou a infância como Brenda, mas retornou ao seu gênero na adolescência, apresenta diversos desdobramentos e entendimentos de especialistas. Rememorando a história, David foi alvo de um experimento que tentava validar uma teoria, que afirmava que o gênero é determinado pelas vivências e criação.

O pesquisador brasileiro Fabiano de Abreu é aprovado pela academia científica e explicita suas observações acerca do caso. O especialista científico criou uma nova teoria em oposição ao estudo “Neutralidade de Gênero“, do psicólogo John Money – à época responsável por fazer o acompanhamento psicológico da criança e seus pais.

Na verdade, Reimer estava dentro do corpo certo. Sem nenhuma distorção psicológica. Porém, um acidente deixou seus pais ‘desorientados’ sobre como lidar com a situação, e houve uma infeliz coincidência de encontrar um ‘profissional’ sem ética que queria comprovar sua teoria, foi o que bastou para determinar toda a tragédia”, contrapõe Abreu.

Somos um organismo completo, uma mente que mora dentro de um cérebro físico, que coordena um corpo físico e psicológico. A integralidade do ser frente a longa jornada da vida, requer a manutenção da homeostase para a preservação da saúde mental. Sem saúde mental não haverá saúde alguma”, afirma.

O artigo , “How does neuroscience explain the Bruce Reimer case?”, publicado pela Latin American está disponível CLICANDO AQUI.

Bear Plus Magazine