O supervisor esportivo de Paranaguá, José Miguel Pereira, enviou um ofício à Secretaria de Esporte e Turismo do Paraná (SEET) solicitando a participação da esportista depois da notícia da proibição da atleta trans - Foto: Divulgação

Jogadora de vôlei trans é impedida de participar de torneio esportivo no Paraná

Após a atleta transexual Priscila Fogaça Faria ter sido impedida de participar do Jogos Abertos do Paraná na última semana, o supervisor esportivo de Paranaguá, José Miguel Pereira, enviou um ofício à Secretaria de Esporte e Turismo do Paraná (SEET) solicitando a participação da esportista.

O evento esportivo teve início na última quinta-feira (4 de julho) e será finalizado no dia 14 de julho. Por ser transexual, Priscila, que joga vôlei, teve sua participação na modalidade feminina questionada.

Conforme a revista Lado A, para que houvesse a liberação da atleta, foram reunidos diversos documentos, inclusive, um atestado assinado pela Confederação Brasileira de Voleibol, na qual informa que Priscila estaria apta a participar dos jogos. Além disso, resultados de exames sobre o nível de testosterona no organismo.

Apesar da regularidade dos documentos, a SEET não liberou a participação da jogadora, alegando que a documentação estaria vencida. Conforme as normas da dos Jogos Abertos do Paraná, a documentação, principalmente com relação aos exames hormonais, deve estar dentro do prazo de doze meses.

Fonte: Folha de São Paulo

bear plus